Conheça os 3 tipos de sacos plásticos alimentícios recicláveis mais procurados!

Saiba sobre seus benefícios e descubra qual é o melhor para você!

O plástico é a matéria-prima que está mais presente em nosso cotidiano. Você pode encontrá-lo em peças automobilísticas, roupas, calçados, brinquedos, construções, utensílios domésticos, nas embalagens de alimentos, entre outros.

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria do Plástico ( ABIPLAST ), a indústria alimentícia é a segunda maior consumidora de plásticos no Brasil. E o que está sendo mais procurado e exigido pelos consumidores são os plásticos retornáveis/recicláveis.

Essa busca está relacionada a dois fatores. Um diz respeito à quarentena causada pela COVID-19. Isso porque uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), mostrou que houve um aumento de 28% na reciclagem no Brasil, considerando apenas o lixo doméstico do mês de maio de 2020.

O outro fator está relacionado com a ascensão de uma sociedade mais consciente e mais preocupada com o meio ambiente.

A reciclagem de plástico no Brasil é extremamente baixa considerando o seu número de produção. Um estudo realizado pela FIA (Fundação Instituto de Administração) para o PICPlast – Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico em 2018, indicou que o índice de reciclagem de plástico no Brasil corresponde a apenas 26%. Em 2017, esse número chegou a representar 550,4 mil toneladas.

Pensando nisso, é essencial que as indústrias e empresas passem a considerar a importância do uso de plásticos recicláveis, tanto para conquistar os clientes, quanto para ajudar na conservação do meio-ambiente.

A seguir você irá conhecer os principais tipos de plástico reciclável utilizados em indústrias alimentícias.

1 – Polietileno de Alta Densidade (PEAD)

Conhecido também como eteno, esse material chama a atenção por sua alta flexibilidade, resistência e estabilidade térmica e química.

Muito utilizado na produção de filmes para embalagens de hambúrguer, filmes para fraldas descartáveis, sacolas de supermercado, sacolas boca vazada, tampas, potes e frascos, ele também pode ser encontrado em embalagens de detergente e óleos automotivos, tambores para tintas, potes, entre outros.

Ele pode ser obtido através do petróleo, ou fontes vegetais, sendo chamado neste último caso como plástico verde.

2 – Polietileno de Baixa Densidade (PEBD)

O Polietileno é uma resina termoplástica cristalina e flexível, obtida através da polimerização do etileno. Ele permite, por exemplo, que os alimentos possam ser embalados de maneira barata e prolonguem seus prazos de validade.

O setor de embalagens para alimentos e bebidas vem se destacando pela utilização crescente dos plásticos, em função de suas excelentes características, entre elas: transparência, resistência, leveza e atoxidade e impermeabilidade.


Uma curiosidade: atualmente, a indústria de embalagens flexíveis do Brasil, consome 770 mil toneladas de PE por ano, número que representa cerca de 80% do consumo total do material no país.

O mercado nacional de PE cresce proporcionalmente duas vezes mais que o PIB (Produto Interno Bruto).

Seu uso varia entre a produção de filme para empacotamento automático de cereais, leite e outros alimentos, como também sacos plásticos para diversos usos como gelo, congelados, agroindústria e etc. Podendo ser encontrado também em bolsas para soro medicinal, sacos de lixo, entre outros.

Assim como o PEAD, esse tipo de plástico também pode ser obtido através do petróleo ou fonte vegetal, sendo conhecido como plástico verde em relação ao último caso

3 – Polipropileno (PP)

Esse tipo de plástico é requerido por ser brilhante, transparente e por conservar bem o aroma.

O polipropileno (PP) é um polímero termoplástico derivado do propileno ou propeno.
Encontrado em diversos produtos da indústria do plástico, ele apresenta resistência química, fácil moldagem, fácil coloração, estabilidade térmica e à flexão. Além disso, é atóxico.


Apresenta-se em filmes e películas para embalagens de diferentes usos, sendo mais empregado na indústria alimentícia, em cigarros, e quando se quer agrupar vários produtos de pequeno porte em uma só embalagem, como por exemplo em chicletes e doces em geral. Ele também pode ser encontrado em sacos para embalagens de alimentos, caixas de bebidas e potes. Seu uso também vale para embalagens industriais, seringas descartáveis, autopeças, tupperware, copos plásticos, sacos para biscoitos, hortaliças e panificação (baguete, panetones, etc), entre outros

Quando é empregado na embalagem final do produto o polipropileno pode ser agrupado com outros plásticos, ou também com lâminas de alumínio para aumentar a sua resistência mecânica e a gases, podendo ser impresso por flexografia ou flexogravura.

Além disso, também podemos destacar sua reciclagem, que pode ser feita com facilidade. Possui identificação em seus produtos, podendo ser reconhecido facilmente por um símbolo triangular com o número cinco e a nomenclatura “PP”.

Como escolher o tipo de plástico ideal para os alimentos

Para escolher um plástico ideal para a embalagem do seu alimento, é necessário compreender quais são seus objetivos e qual tipo de plástico irá possibilitar alcançá-los.

Leve em conta a rigidez, brilho e cor, alinhado com sua finalidade. Pense no que seu alimento precisa (tempo de conservação, proteção para transporte, maleabilidade, etc) e o tipo de plástico que irá entregar o melhor resultado.

Pense também no que sua empresa quer passar para o público. Que tipo de embalagem irá possibilitar a melhor estampagem de marca e informações obrigatórias estabelecidas pela ANVISA.

Na ABX Embalagens, você encontra os plásticos listados acima, podendo personalizá-los e moldá-los de acordo com sua necessidade. Saiba mais em nosso site: https://abxembalagens.com.br

Lib Embalagens
(Sacolas de papel, Caixas)

55 (31) 3475-4808
comercial@abxembalagens.com.br
Av Heráclito Mourão de Miranda, 1599 – Serrano / Belo Horizonte – MG / CEP: 30882-640

Copyright © 2020 ABX Embalagens

Abrir WhatsApp!
Deseja um orçamento?
De segunda à sexta de 9 às 18 horas.